Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

A taberna

06.05.17, Alice Alfazema
    Quando eu era miúda morava por cima dum  Wine Bars. Assomava-me à  varanda para ver os bêbados passarem, uns cantavam, outros gritavam, os mais trágicos vomitavam. Os ziguezagues eram uma delicia, e eu sempre na expectativa do primeiro tombo, mas eles aguentavam, eram marinheiros valentes, cavalgavam as ondas do álcool como quem faz surf. Por vezes as mulheres iam buscá-los ao Wine Bars, era uma tarefa difícil, demorada, agitada e cambaleante.   Entre o tinto e o (...)

Almoço entre colegas

18.06.16, Alice Alfazema
  Ilustração  Wojtek Kowalczyk   Era vez um almoço de colegas, ou quase colegas. Para terminar o ano de trabalho decidiram fazer uma bela almoçarada, fixaram um preço, propuseram-se a candidatos e juntaram um grande grupo. No dia do almoço, uns arranjaram as saladas, outros cortaram o pão, cozeram as batatas, salgaram o peixe e a carne, houve também quem acendesse os fogareiros e assasse os ditos, outros ainda puseram a mesa e arranjaram as sobremesas. Chegada a hora da (...)

Bebedeira de qualidade a 5€

31.08.13, Alice Alfazema
A música no coreto, trombones e outros metais tocam com garra. O pessoal passeia e o dia termina. As luzes acendem-se e deixam antever o espectáculo de cores. Festeja-se o vinho. No coreto a música calou-se, amanhã há mais. Num outro palco, a miúda brasileira dança e canta com energia, a malta canta. Alguns agarradinhos à sua garrafa. As miúdas ficam cada vez mais desinibidas, abanam-se sem coreografia, e vai mais um golo. Aqui ninguém te pergunta se já tens idade para beber. Os (...)

Palmela - 49 anos

29.08.12, Alice Alfazema
    "O vinho é uma das substâncias mais civilizadas do mundo. Uma das coisas materiais que foram levadas ao mais alto grau de perfeição e que oferece a maior variedade de prazeres e de satisfações que qualquer outra que se possa comprar com intenções puramente sensoriais."  Ernest Hemingway       Alice Alfazema