Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Dezembro - Dia 12 - Mensagem

12.12.19, Alice Alfazema
Ilustração  Ed Fairburn   Existe uma mensagem escondida que não encontras. Há sempre uma, geralmente é a que mais procuras. É o teu sentido, a tua visão, o que não aceitas, o que esperas, o que desejas. E se não houver mensagem? E se a própria mensagem fores tu? O que fazes?

Dezembro - Dia 11 - Ideias

11.12.19, Alice Alfazema
    Ilustração  Christian Schloe   Ter ideias, muitas ou poucas, loucas ou certinhas. Ter ideias é cuidar da criatividade, do nosso eu mais íntimo, daquele que não contamos a ninguém. Ter ideias é construir e destruir marcadores de medo, de ansiedade, é a esperança continuada no dia-a-dia. Ter ideias é ousar abrir caminhos, mesmo que sejam estreitos, mas que hão-de levar-te ao lugar. Ter ideias é não parar, é caminhar para não estagnar, é pular a lama e ficar na beira (...)

Dezembro - Dia 10 - Especial

10.12.19, Alice Alfazema
  Especial é coisa que pensas e não dizes, ainda não encontraste a coragem para deixares o comum de lado. É hora de fazer algo especial: dar um abraço, criar laços, dar um passo decisivo, fazer uma mudança dolorosa, é especial. A experiência é algo especial que muitos se podem dar ao luxo de ter. Aceita e guarda.      As ilustrações são de Anna Yarmoliuk

Dezembro - Dia 9 - Importante

09.12.19, Alice Alfazema
  Ilustração  Jantina Peperkamp     É importante estarmos juntos, todos os que querem, os outros deixa-os, leva-os o vento. É importante deixar ir, não carregar compaixão. Os fardos são de quem os construiu. Larga o fardo e o teu caminho será leve, mesmo que seja longo. Porque longo é tudo aquilo que queremos e não conseguimos. É importante deixar de dar importância. 

Dezembro - Dia 8 - Ocupação

08.12.19, Alice Alfazema
Ilustração Timothy Adam Matthew     Estou aqui ocupada, no silêncio do dia, vendo o barulho da vida. A vida faz muito barulho. É chata, às vezes rude, outras surpreendente. Procura e achas. Leva contigo aquilo que quiseres, mas deixa para trás aquilo que te faz doente. Ocupa-te do que te faz bem. Beijos.

Dezembro - Dia 7 - Oportunidade

07.12.19, Alice Alfazema
  Ilustração Ofra Amit    Leve, pura, oca, fútil, é a oportunidade, levada pelo vento louco da esperança, espero, desespero, procuro e não encontro. Depois, por detrás do  que não quero, lá estás tu, leve, acenando, sorrindo, dizes-me que vens, eu aceito, vou levar-te comigo, naquele espaço minúsculo que tenho ali dentro do meu bolso. Nunca mais te quero perder.   

Meu rio, meu mar

30.11.19, Alice Alfazema
  Minha cidade Meu rio Meu mar   Pôr-do-sol de cores imperiais Cheiros de maresia Cheiros de areia fresca das cadeias do mar Areia de beijinhos perdidos ao relento     Meu mar Belos momentos a esquecer tormentos E o sol a queimar E o sol a sorrir de sonhos saudosos   Deitados no mar com rendados de luz Que o sol emprestou     Minha cidade De rio e de mar Riqueza assim É inveja sem fim.       Carmen Dessa, in Em mim e em outros lugares    

Lua cheia

13.11.19, Alice Alfazema
  Ilustração  Jerzy Głuszek   Enquanto a Lua estava escondida, deixei divagar meus pensamentos, não fosse ela levar alguns. Caminhei devagar sobre as águas e pousei minha prece num barquinho de papel. Levou-o a brisa na água calma e tardia. Lá do outro lado da ponte era dia.

Encontrar

31.10.19, Alice Alfazema
  Ilustração Hanemusi   Escrever é esculpir sentimentos, é materializar de alguma forma algo que sentimos em palavras, é uma maneira de me conhecer e explorar a minha própria geografia.    Zack Magiezi