Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Diário dos meus pensamentos (22)

10.04.20, Alice Alfazema
  Sabes, passo pelas pontes sem as ver. Talvez o rio abundante se tenha já secado. Vieram chuvas risonhas que murmuraram Segredos e promessas. Partiram velozes Os sussurros. E as promessas. Sabes, o cais onde atracam barcos e Pessoas apressadas que levam sonhos E moradas nas algibeiras, fica desgarrado Quando todos partem de olhos pejados de azul. Sabes, certa noite, silenciosa e confidente, Pois nela me acolhi, na fresta entre duas Tábuas do chão gasto, era branco um papel dobrado. A (...)

Bom dia :-)

19.11.17, Alice Alfazema
  Enfunando os papos,  Saem da penumbra,  Aos pulos, os sapos.  A luz os deslumbra.  Em ronco que aterra,  Berra o sapo-boi:  - "Meu pai foi à guerra!"  - "Não foi!" - "Foi!" - "Não foi!".  O sapo-tanoeiro,  Parnasiano aguado,  Diz: - "Meu cancioneiro É bem martelado.        Vede como primo  Em comer os hiatos!  Que arte! E nunca rimo  Os termos cognatos.  O meu verso é bom  Frumento sem joio.  Faço rimas com  Consoantes de apoio.  Vai por (...)

Bons sonhos ;)

01.12.15, Alice Alfazema
  Ilustração  Carmen Döcke   Sonho. Não sei quem sou neste momento. Durmo sentindo-me. Na hora calma Meu pensamento esquece o pensamento,  Minh'alma não tem alma.     Fernando Pessoa   Alice Alfazema  

Azeitão

11.08.14, Alice Alfazema
Azeitão fica nas fraldas da Serra da Arrábida e estas fotografias são de uma homenagem aos varredores de rua, feita pela junta de freguesia, podem vê-la num dos jardins de Azeitão.    Em equipa ou solitários,  com a vassoura na mão,  são estes os funcionários, que dão brilho a Azeitão.   (...)