Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Não fales: eu entendo...

13.11.10, Alice Alfazema
 Fotografia Rouxinol de Pomares    - Mas aqui! Olha para aquele castanheiro. Há três semanas que cada manhã o vejo, e sempre me parece outro. A sombra, o sol, o vento, as nuvens, a chuva, incessantemente lhe compõem uma expressão diversa e nova, sempre interessante. Nunca a sua frequentação me poderia fartar... Eu murmurei: - É pena que não converse! O meu principe recuou, com olhares chamejantes, de apostolo: - Como que não conversa? Mas é justamente um conversador sublime!    

Uma história antiga...

02.11.10, Alice Alfazema
Um dia, um discípulo foi ter com o seu mestre e confidenciou: - Mestre, tens de saber o que andam a dizer de ti. Dizem que... - Espera - interrompeu o mestre. - Passaste a mensagem pelas três peneiras? - Três peneiras!? - perguntou o discípulo, espantado. - Sim, três peneiras. Vejamos se o que me  queres dizer pode passar pela primeira peneira: tens a certeza de que é verdadeiro? - Ouvi dizer... - Falemos, então da segunda peneira. O que me queres contar, embora não seja (...)