Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Dias de vento e com os ventos

20.09.20, Alice Alfazema
   O meu olhar de tanto marfixou-se numa nuvem de vento.Dispo-me de gaivotasquando é o teu olhar com asasque me solta e agarra,pois dois sentidos morampara além de nós,nos habitam e esperamsentados aos tropeçõesdentro dos nossos corpos.São aves de muitas ondas,as que nos beijam.A hora chegou com o seu gume.Amor,volto a partir com os ventos.    Poema de Lília Tavares, in Parto com os ventos     

Folha

26.10.19, Alice Alfazema
  Ilustração Carolina Avelino    O VENTO voa, a noite toda se atordoa, a folha cai. Haverá mesmo algum pensamento sobre essa noite? sobre esse vento? sobre essa folha que se vai?     Poema Cecília Meireles 

#diariodagratidao 13-06-2019

13.06.19, Alice Alfazema
    Ilustração  Mutsumi   Cheguei a casa quando anoitecia. Ainda quente, o vento empurrava-me o vestido. Por um instante senti-me ave levada por brisas, plumas e enigmas. A aragem entontecia-me de prazer. Queria ficar nos braços daquele vento. Imaginei que o anoitecer me pertencia. De pé, senti o teu corpo. O meu, aberto e solto, deixou-se ir. Sou apenas uma guardadora de ventos.     Poema de Lília Tavares