Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

O rio é um tesouro

09.09.20, Alice Alfazema
  A menina chegou perto do Rio e viu que ele parecia um tesouro. A luz do Sol fazia brilhar a água tal como brilham as pedras preciosas. E disse em voz alta: - O Rio parece um tesouro! E a gaivota que por ali andava ouviu-a e disse numa voz estridente de gaivota dos mares: - É verdade, o Rio é um tesouro escondido à vista de toda a gente! A menina assustou-se com aquela voz, e levou algum tempo a perceber quem tinha falado. Depois ficou admirada, porque as gaivotas não falam, mas a (...)

Sou a ponte que me liga

01.09.20, Alice Alfazema
  Ilustração Jeremy Norton   Este corpoque agora me vesteainda é cascae casulode um outro bichoque cresce.  Esta capa que me acompanhadesde os temposde criançadesce inútilaos meus pés.Sou a ponteque me liga.  Sou o gestoque me une.Sou o fuie o serei.  Este tempoque me guardapara um outroamanheceré lembrançae  é promessa,recordação eesperança,morte e vidaenoveladasna meadadas mudanças.    Poema de Carlos Queiroz Telles, in Sementes de Sol