Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

O rio é um tesouro

09.09.20, Alice Alfazema
  A menina chegou perto do Rio e viu que ele parecia um tesouro. A luz do Sol fazia brilhar a água tal como brilham as pedras preciosas. E disse em voz alta: - O Rio parece um tesouro! E a gaivota que por ali andava ouviu-a e disse numa voz estridente de gaivota dos mares: - É verdade, o Rio é um tesouro escondido à vista de toda a gente! A menina assustou-se com aquela voz, e levou algum tempo a perceber quem tinha falado. Depois ficou admirada, porque as gaivotas não falam, mas a (...)

Ginjas o pirata

15.07.17, Alice Alfazema
  Vivia na China um sacerdote rico e avarento. Amava jóias e as coleccionava, acrescentando constantemente novas peças ao seu maravilhoso tesouro escondido, que guardava a sete chaves, oculto de olhos que não fossem os seus. O sacerdote tinha um amigo, que um dia o visitou e manifestou interesse em ver as jóias. - Seria um prazer tirá-las do esconderijo, e assim eu poderia olhá-las também. A colecção foi trazida, e os dois deleitaram os olhos com o tesouro maravilhoso por longo (...)

Os outros

09.11.13, Alice Alfazema
    Fotografia Nuno Marçal do blogue O PAPALAGUI As aparências são tudo aquilo que vemos, mas o mundo vai muito para além disso. O que me interessa são as razões, os motivos, os tesouros escondidos em aparentes fragilidades. Por vezes, quem julga fragilidades nos outros nunca antes passou por provações que lhe levassem a tal estado. As bazófias que se dizem de barriga cheia e cama feita não (...)