Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Nada de nada ao fim-de-semana

09.06.18, Alice Alfazema
Ilustração  Giulia Del Mastio     Pegou no aspirador e ligou-o à ficha, entretanto foi sacudir os tapetes com força até saírem todos os vestígios de pó e outras coisas que tal. Ouviu a máquina da roupa a acabar o ciclo e foi estender a roupa, mas entretanto tinha de recolher a outra que estava no estendal. Lembrou-se então de descongelar o peixe para o almoço que estava na terceira gaveta do frigorífico. Como a bancada da cozinha estava cheia de loiça suja, deitou mãos (...)

Na pele e no pêlo

25.02.14, Alice Alfazema
Ilustração Migle Kosinskaite   Se tivéssemos este tipo de roupa eu não teria acabado de passar a ferro um montão de roupa. Teria mais tempo para me dedicar ao blogue...e gastaria menos dinheiro em electricidade. Não teria de me preocupar em lavar, estender e recolher roupa. Nem se faria sol para enxugá-la ou ter de apanhá-la da corda porque está a chover. Teria, talvez, de comprar mais amaciador e uma escova grande.  (...)

Manhãs de Sábado

07.12.13, Alice Alfazema
    Pintura Charles Courtney Curran  Das tarefas domésticas o que fica são as sombras.  La sombra es un pedazo que se aleja Camino de otras playas En mi memoria un ruiseñor se queja Ruiseñor de las batallas Que canta sobre todas las balas Hasta cuando sangrarán la vida La misma luna herida No tiene sino una ala El corazón hizo su nido En medio del vacío Sin embargo Al borde del mundo florecen las encinas Y la primavera viene sobre las golondrinas Vicente Hiudobro (...)