Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Diário dos meus pensamentos (22)

10.04.20, Alice Alfazema
  Sabes, passo pelas pontes sem as ver. Talvez o rio abundante se tenha já secado. Vieram chuvas risonhas que murmuraram Segredos e promessas. Partiram velozes Os sussurros. E as promessas. Sabes, o cais onde atracam barcos e Pessoas apressadas que levam sonhos E moradas nas algibeiras, fica desgarrado Quando todos partem de olhos pejados de azul. Sabes, certa noite, silenciosa e confidente, Pois nela me acolhi, na fresta entre duas Tábuas do chão gasto, era branco um papel dobrado. A (...)

Janeiro 20/20

2

02.01.20, Alice Alfazema
  Ilustração Lucia Brandão   ama os teus sonhos como o teu próximo ou como os sonhos do teu próximo mas se o teu próximo não tiver sonhos convém mandar o teu próximo para muito longe donde não te possa contaminar     Poema de Alice Vieira    

Os sonhos e os objectivos

13.06.18, Alice Alfazema
Deixaram de acreditar nos sonhos, agora chamam-se de objectivos, porque dizem que os sonhos são irreais, apenas os objectivos são passiveis de serem realizados. E o que pensa um pintor antes de pegar num pincel, como objectiva as cores, as imagens, é através do sonho que se desenha a arte? E os sentimentos que nos assolam quando estamos perante a arte, são sonhos, são objectivos? A vida poderia ser um sonho se não vivêssemos agarrados ao objectivos?       Ilustrações de (...)