Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Mundo microscópico

30
Dez21

olho de gelo.jpg

Fotografia  Gheorghe Popa

Pudéssemos nós ver o mundo microscópico como se fosse a olho nu, e poderíamos acreditar mais no sonho, não como clichés, mas antes como verdadeiros. Pudessem as intenções serem acima de tudo audazes.

 

 

“Todos sabem, o alimento

que queremos é o fruto mais doce,

com pouco sumo e muita semente.

Coisa que se come e se guarda pra plantar.”

 

Poema Pedro Cruz de Aguiar

Alenquer

08
Dez21

Todos os anos se fala daquilo que é gasto pelas câmaras municipais em iluminações de Natal, se nalgumas são apresentados valores muito elevados noutras nem tanto, as opiniões dividem-se, uns dizem que gostam e que vale o esforço financeiro, outros referem que poderiam ser gastos noutras necessidades, não discordo poderiam ser canalizados para outras necessidades, mas vendo bem a coisa, considero isto nos tempos que correm como serviço público na área da saúde mental.

IMG_20211205_194736.jpg

IMG_20211205_192836.jpg

IMG_20211205_195220.jpg

IMG_20211205_194538.jpg

IMG_20211205_195322.jpg

IMG_20211205_195336.jpg

IMG_20211205_200039.jpg

IMG_20211205_200537.jpg

IMG_20211205_201619.jpg

IMG_20211205_201653.jpg

IMG_20211205_201719.jpg

IMG_20211205_195447.jpg

Pelo sonho é que vamos,

Comovidos e mudos.

Chegamos? Não chegamos?

Haja ou não frutos,

Pelo Sonho é que vamos.

 

Basta a fé no que temos.

Basta a esperança naquilo

Que talvez não teremos.

Basta que a alma demos,

Com a mesma alegria, ao que é do dia-a-dia.

 

Chegamos? Não chegamos?

- Partimos. Vamos. Somos.

 

Poema de Sebastião da Gama