Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Descolaborar

06.06.21, Alice Alfazema
  Ilustração Alberto Pancorbo Há medida que o tempo passa e a sociedade se transforma noutras dinâmicas adoptam-se novas formas de interpretar as palavras, por vezes distorcendo a realidade, para  o mesmo fim. Se num passado relativamente recente se atribuía a palavra trabalhador a quem vendia a sua força de trabalho, seja ela qual fosse, hoje é frequente ouvirmos falar em colaboradores, dando assim um ar mais levezinho à árdua tarefa de trabalhar, diz-se até que o (...)

Mentira

03.06.21, Alice Alfazema
Ilustração  Narjes Mohammadi Não lido nada bem com a mentira, e o que mais se vê e se ouve neste nosso quotidiano são mentiras, mente-se  à descarada e com um à vontade perante os outros como se fosse um bom exemplo. No entanto, sendo a mentira coisa de pouca dura são exemplos vagos que nos indicam que estamos a ir num caminho sem saída. Tal como na perda de confiança há a sensação que algo foi quebrado e jamais será reposto. Ora uma sociedade que se está a afundar em (...)

Metade

20.05.21, Alice Alfazema
  A porta da verdade estava abertamas só deixava passarmeia pessoa de cada vez. Assim não era possível atingir toda a verdade,porque a meia pessoa que entravasó conseguia o perfil de meia verdade.E sua segunda metadevoltava igualmente com meio perfil.E os meios perfis não coincidiam. Arrebentaram a porta. Derrubaram a porta.Chegaram ao lugar luminosoonde a verdade esplendia os seus fogos.Era dividida em duas metadesdiferentes uma da outra. Chegou-se a discutir qual a metade mais bela.Ne (...)

Em sintonia

26.01.21, Alice Alfazema
Ilustração Laimonas Šmergelis Em sintonia o som se propaga até às memórias, e nelas fazemos analogias, faremos muitas se soubermos encadear as diversas origens, necessidades, causas, probabilidades. Numa outra dimensão, num mesmo terreno, sendo assim uma permacultura da sociedade, numa cultura permanente de gestão da degradação social. Pensar e conceber sistemas regenerativos às nossas necessidades e ao meio ambiente global, numa ética em acordo com o planeta e os seus (...)