Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Postal

26.10.19, Alice Alfazema
  Queridos amigos, Tenho tido pouco tempo para responder aos vossos comentários, sei que é uma falha minha, mas agradeço-vos do coração as mensagens que me deixam todos os dias. O blog faz parte da minha vida, assim como vocês, não interessa que não nos conheçamos fisicamente, isso para mim não tem grande valor, o que me preenche são as palavras de carinho que me deixam aqui todos os dias, ou como ontem no espaço da MJP, onde falei sobre Liberdade (...)

Cinquentas - Eu

31.07.19, Alice Alfazema
  Ilustração  Francesca Escobar   Cinquenta são: 5x10. São cinco anos em cada dedo das mãos. Cinquenta Verões, cinquenta Invernos. Cinquenta brindes.   A Isabel, lançou o desafio de falar do que é ter cinquenta anos, e eis-me aqui reflectindo sobre o assunto. O que senti ao fazer cinquenta anos de vida? Senti que tinha ultrapassado (...)

#diariodagratidao 11-03-2019

11.03.19, Alice Alfazema
  Ilustração Irene Fioretti   É bom estar aqui neste mundo dos blogs do Sapo. É muito mais que escrita, é conversa, é afinidade, é simpatia e até preocupação, é carinho e emoção. É um mundo que nos escorre pelas mãos, que afaga velhos e novos. Há luas e sois, desertos e florestas, gente às vezes zangada, aflita, despreocupada, divertida, triste. É um mundo dentro de outro mundo. Aqui na nossa palma da mão.

Feliz Natal! Agarrem a vossa estrela. :)

24.12.17, Alice Alfazema
  Ilustração  Lucy Fleming       Que os teus olhos sejam sempre os portais Por onde se perdem os meus encantos, E neles encontre todos os santos Que lhe agraciaram com a minha paz   Que o teu jeito sapeca de menina Nunca deixe solta a maturidade, Que a tua mente desfrute a liberdade Dos que desacreditam de uma sina Que guardes consigo as muitas estrelas Vindas do vasto céu da tua esperança E não duvides da beleza em tê-las, Como um farol a guiar as mudanças Porque se, (...)