Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Saborear

14.08.19, Alice Alfazema
    O velho dizia: Ler, é como comer uma maçã! Mas o jovem mergulhava os olhos no livro mergulhava a cabeça e todo o corpo.   Mergulhava e mergulhava tempos infinitos no mar de palavras. Bebia frases inteiras, páginas, capítulos... bebia sem respirar.   E bebia outros livros que se seguiam aos livros que lia. Bebia sem parar. E o velho dizia: - Não esqueças... ler é como comer uma maçã!     E a cada manhã, o jovem lia, lia e lia. E a cada manhã o velho repetia: Ler, é (...)