Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Loucuras

31.05.20, Alice Alfazema
Ilustração Mirjam Siim      Recomeça… Se puderes, Sem angústia e sem pressa. E os passos que deres, Nesse caminho duro Do futuro, Dá-os em liberdade. Enquanto não alcances Não descanses. De nenhum fruto queiras só metade. E, nunca saciado, Vai colhendo Ilusões sucessivas no pomar E vendo Acordado, O logro da aventura. És homem, não te esqueças! Só é tua a loucura Onde, com lucidez, te reconheças.   Poema de Miguel Torga

Sabedoria

18.04.17, Alice Alfazema
  Ilustração  Pramod Kurlekar     Um guia é tanto melhor Quando ninguém der por ele. De um bom chefe, que fale pouco, Terminado o trabalho, alcançado o objectivo, Dirão:"Fomos nós que fizemos isto."   Valores Taoístas       Alice Alfazema

Uma pergunta por dia: As palavras podem ser equiparadas ao vento?

15.11.14, Alice Alfazema
Ilustração Zara Picken   Estou vivo mas não tenho corpo Por isso é que não tenho forma Peso eu também não tenho Não tenho cor Quando sou fraco Me chamo brisa E se assobio Isso é comum Quando sou forte Me chamo vento Quando sou cheiro Me chamo pum!   Vinicius de Moraes    Uma pergunta até ao final do ano, quem quiser responder esteja à vontade.   Alice Alfazema