Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Janeiro 20/20

11

11.01.20, Alice Alfazema
  Não comerei da alface a verde pétala  Nem da cenoura as hóstias desbotadas  Deixarei as pastagens às manadas  E a quem mais aprouver fazer dieta.  Cajus hei de chupar, mangas-espadas  Talvez pouco elegantes para um poeta  Mas pêras e maçãs, deixo-as ao esteta  Que acredita no cromo das saladas.      Não nasci ruminante como os bois  Nem como os coelhos, roedor; nasci  Omnívoro; dêem-me feijão com arroz  E um bife, e um queijo forte, e parati  E eu (...)

Coisas do nosso tempo - Bruno Lage

19.05.19, Alice Alfazema
  Ilustração Ajubel       Se vocês tiverem a exigência que têm no futebol como nos outros aspetos do nosso Portugal – economia, educação, saúde – vamos ser um país melhor.     Bruno Lage, no seu discurso como treinador campeão do Sport Lisboa e Benfica, em 2019

Repensar o mistério

27.10.18, Alice Alfazema
  Ilustração Catherine Rowe   Sou biólogo e ecologista. O que me fascina é a fronteira entre a descoberta científica e a margem de mistério que sempre subsiste. Mas sobretudo a Biologia me ajudou a repensar-me como pessoa solidária e de identidades partilhadas.A Biologia ensinou-me a entender outras linguagens, ensinou-me a fala das árvores, a fala dos que não falam. Resgatei uma intimidade perdida com criaturas que parecem muito distantes de nós. Hoje em nenhum lugar me (...)