Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Micro contos - O mar, o rio e eu

17.12.15, Alice Alfazema
  Ilustração Sonia Maria Luce Possentini   Desde que me conheço vejo-me perto do mar e do rio, à beirinha. A ver os vários tons de verde ou de azul. Sinto-lhe a falta quando estou longe. A minha pele fica feliz quando lhe sente o sal. Acalmo-me. O mar e o rio fazem parte de mim. Da minha história, nas minhas alegrias e nas outras.    Alice Alfazema

Bom dia

29.06.15, Alice Alfazema
  No ar fresco da manhã, na neblina fininha que fica por cima da linha de água, sinto o fresco da maré que me leva até longe que é onde estou.    Alice Alfazema

Maio dia 10

10.05.14, Alice Alfazema
  ♥   Sentei-me aos pés do grande Eucalipto, e fiquei a apreciar o brilho mágico que o Sol transmitia ao Rio. O Vento soprava leve. Manhã gostosa. Ao longe uma aula de dança, a música chegava-me alegre aos ouvidos. Converso, não somos capazes de estar calados, é genético. O meu filho diz-me que o dinheiro e o tempo não vão para o caixão. Penso. Olho de novo o (...)

Tarde de cetim

12.02.12, Alice Alfazema
    Pintura de António Tapadinhas   A tarde era de cetim, luminosa, fascinante. As ondas, contra a muralha, amainavam deleitosas... E eu, no cais, enternecido escutava a voz das ondas mornas, de um azul de céu, que cantavam para mim...   João Liberal         Alice Alfazema    

Águia

30.11.10, Alice Alfazema
      À águia, que voa perto do Sol, não lhe dá cuidado saber como irá atravessar um rio tumultuoso.

Dá...

29.11.10, Alice Alfazema
Dá, sê um doador, ainda que a tua dádiva seja pequena. De uma pequena fonte nasce um rio; E com as dádivas do rio, os estuários logo derramam as suas águas, formando um mar. Do oceano, de novo, o Céu retira as suas chuvas E às fontes leva todo o seu renovado poder. E assim, levadas de volta, as dádivas circulam, E por cada bênção dada Há outra que se recebe.   Autor Desconhecido  

Rio de águas claras

19.08.10, Alice Alfazema
" Conta uma lenda que existia um grupo de criaturas que viviam no fundo de um rio de águas claras. Alimentavam-se de algas e plantas. Com medo de, um dia, não terem que comer, começaram , com o tempo, a agarrar-se, com toda a força, às pedras onde ainda havia algum alimento. Agarrar-se era o seu meio de vida, e todas aprendiam a agir assim desde que nasciam. Enquanto isso, o rio passava, sereno, sobre todas elas. Um dia, no entanto, uma das criaturas decidiu deixar de se agarrar às (...)