Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

25 de Abril de 1974 - 2020

25.04.20, Alice Alfazema
Eu cresci a sentir o 25 de Abril, ainda era muito miúda quando a Revolução aconteceu, lembro-me de a minha mãe ir-me buscar à escola, não era a escola primária, mas numa casa de uma antiga professora primária, eu tinha cinco anos, estávamos numa sala única, com mesas pequeninas de madeira, como se fosse uma pré-primária, havia um quadro negro e uma casa de banho minúscula, ficava num primeiro andar, daqueles em que a escada é de madeira e os degraus são demasiado estreitos e (...)

25 de Abril

25.04.19, Alice Alfazema
      Era já uma promessa  era a força da razão  do coração à cabeça da cabeça ao coração. Quem o fez era soldado homem novo capitão  mas também tinha a seu lado  muitos homens na prisão.       Poema de José Carlos Ary dos Santos  

Setúbal - 25 de Abril de 1974, o povo saiu à rua.

25.04.17, Alice Alfazema
                  Se te disserem que um gorila salvou a tua irmã E que não é bonito pensares a todo o momento Na caixa de correio vazia Pensa bem, mano, na fórmula que adoptaste Para uma sociedade sem classes Onde não adianta patinar na relva como os ursos. Só eles possuem o dom do peso Aliado à levitação, Mas a um qualquer é permitido rir E falar alto como se acordasse em forma. Fora do orabolas em que foste criado Há muita coisa à espera de ser vista   Pela primeira vez