Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

√Č preciso

24.03.15, Alice Alfazema
Ilustra√ß√£o Sandrine Kao ¬† Renascer limar os gumes, o frio da esta√ß√£o naufragada metamorfose de cinzas ¬† ¬† ¬† ¬† ¬† ¬† ¬† ¬† ¬† ¬† ¬† ¬† em p√©talas C√Ęntico ao vento ¬† ¬† ¬† ¬† ¬† ¬†imortalidade na voz ¬† Maur√≠cia Teles ¬† Alice Alfazema ¬†

Maio dia 1

01.05.14, Alice Alfazema
♥     As rosas. Neste primeiro dia de Maio as rosas eram rainhas nas jarras da casa da minha mãe, levantava-se cedo para não deixar entrar o Maio, significa isto: não ficar preguiçoso durante um ano, neste dia celebra-se a festa da Primavera, as colheitas que hão-de vir.   Hoje levantei-me cedo, e vi o Sol entrar no meu quarto, lembrei-me dela, o seu corpo nasceu (...)

Velho dicion√°rio

26.04.11, Alice Alfazema
¬† ¬† ¬† ¬† √Č bom lan√ßar ao fogo um velho dicion√°rio √Č bom o crepitar das palavras antigas Adivinhar quais s√£o as que por fim renascem e que sabem voar ao sair das cinzas. ¬† Mour√£o-Ferreira