Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Azul

12.09.19, Alice Alfazema
  Ilustração  Budi Satria Kwan   O céu, azul de luz quieta, As ondas brandas a quebrar, Na praia lúcida e completa — Pontos de dedos a brincar.   No piano anónimo da praia Tocam nenhuma melodia De cujo ritmo por fim saia Todo o sentido deste dia.   Que bom, se isto satisfizesse! Que certo, se eu pudesse crer Que esse mar e essas ondas e esse Céu têm vida e têm ser.     Poema Fernando Pessoa  

Setembro

01.09.13, Alice Alfazema
  Ilustração João Vaz de Carvalho  De quem é o olhar  Que espreita por meus olhos?  Quando penso que vejo,  Quem continua vendo  Enquanto estou pensando?  Por que caminhos seguem,  Não os meus tristes passos,  Mas a realidade  De eu ter passos comigo ?  Fernando Pessoa Alice alfazema

Regresso

03.08.12, Alice Alfazema
  No regresso há o reencontro com as pequenas coisas do dia a dia, há uma caixa de correio cheia, e as notícias das quais nos afastámos. São diversos mundos no mesmo mundo. Paralelos, mas tão longe uns dos outros. Tal como as andorinhas é necessário voltar e reconstruir aquilo do qual nos afastámos, entrar na rotina, no entanto, as paisagens parecem diferentes, as (...)