Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Dia Mundial "Meio" Ambiente

ao meio

05.06.21, Alice Alfazema
  Aqui na bola azul, as questões ambientais são na maior parte das vezes levadas a meio, no meio e pelo meio. Neste dias comemorativos exige fazermos uma reflexão sobre o nosso meio. Há demasiado tempo que estas questões passam ao lado das agências noticiosas, do poder local, e nas andanças políticas globais. No quotidiano apresenta-se como assunto de menor importância, sendo até que os activistas ambientais são por vezes ostracizados publicamente, sem que isso tenha (...)

Parece que o maior problema de Portugal são os portugueses

30.05.21, Alice Alfazema
Ilustração  Peter Gut Há muito, muito tempo, na era do covid, num país chamado Portugal, onde viviam cerca de dez milhões de habitantes, as pessoas foram obrigadas por lei a usar máscara enquanto andavam nas ruas das cidades e das vilas, era assim que estava estipulada a melhor maneira de conter a disseminação do vírus, quem não cumprisse poderia incorrer numa multa valente, mas depois vieram os ingleses  e os empregados de mesa viveram felizes para sempre. 

As novas formas de escravatura

06.05.21, Alice Alfazema
Vivemos num mundo em constante mudança, cada vez mais insistimos nos ritmos alucinantes, sabemos que em muitas áreas da nossa vida pessoal e profissional as tecnologias vieram facilitar o nosso quotidiano, no entanto à mistura trouxeram novas formas de escravatura, tudo é facilitado tanto para o bem como para o mal.  Todos os dias milhões de pessoas são vítimas de escravatura, tráfico humano, exploração para pagamentos de dividas, servidão, tráfico infantil, sejam homens ou (...)

Crime ambiental no Rio Sado

Janeiro 2021

22.01.21, Alice Alfazema
Faltam-me as palavras para descrever o que está a acontecer no Rio Sado, uma torrente de lama cobre agora tudo o que encontra no seu caminho, é a morte a assolar tudo o que lhe aparece pela frente. São lamas de dragados, que soterram o sapal, e a zona envolvente, que tornam o Estuário do Sado num lodaçal putrefacto, matando as espécies que dele dependem, empobrecendo de uma maneira feroz a biodiversidade já de si frágil.  Devastando a produção ostreícola adjacente, a (...)

Presidenciais 2021

16.01.21, Alice Alfazema
Faço minhas as palavras do José Condessa: "Não quero saber o que é viver num país que não é livre. Não quero viver num país onde seja instigada a segregação, o preconceito, o racismo e a discriminação. Não quero ver defendido o machismo, a misóginia e o sexismo. Onde se põe em hipótese mutilações femininas. Onde não se procura respeitar o próximo. Onde a homofobia é aceite. Onde se defende que há uns melhores que outros. Não quero viver num país assim. E muito (...)