Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Pensamento crítico

22.12.18, Alice Alfazema
  Ilustração Dale Edwin Murray       Não há pensamento crítico sem amizade. O pensamento crítico só é possível através de uma relação lenta com a ciência e com as palavras. O antropólogo britânico Jack Goody explica na sua obra “Domesticação do Pensamento Selvagem” que o pensamento crítico só é possível quando conseguimos ler um texto duas vezes e repensar o que lemos para podermos distinguir entre o bem e o mal, entre verdade e mentira. Quando o processo de (...)

Espera...

17.02.14, Alice Alfazema
  Ilustração Mary Jane Ansell   O antes é sempre mais difícil que o durante, talvez seja a expectativa do momento que se segue, ou o medo de não conseguir, no entanto no durante esqueço tudo e faço o que tenho de fazer. Esperemos pois que seja bem feito. É a espera que corrói.   Alice Alfazema

Daqui, dali, de acolá

08.04.13, Alice Alfazema
Ilustração Ana Afonso "É impossível que o tempo actual não seja o amanhecer doutra era, onde os homens signifiquem apenas um instinto às ordens da primeira solicitação. Tudo quanto era coerência, dignidade, hombridade, respeito humano, foi-se. Os dois ou três casos pessoais que conheço do século passado, levam-me a concluir que era uma gente naturalmente cheia de limitações, mas digna, direita, capaz de (...)

Uma pergunta por dia: O que é um poema?

07.11.12, Alice Alfazema
Olha as flores erguidas como estrelas no céu do jardim Generosamente regadas pela chuva. Caíram lentamente uma após uma. Alguém dirá: Um génio mau que procurava surpreender um segredo aproximou-se para escutar e desfolharam-se sobre ele para o lapidar. Olha também o regato sobre qual a brisa, hábil artesão, afeiçoou ornamentos de bolhas.   Ibn Al- Alam Assantamari Uma pergunta por dia até ao final do ano, quem quiser responder esteja à vontade. Alice Alfazema

Detalhes

25.01.12, Alice Alfazema
  Um músico deve tocar para um público, não para o seu professor!   JP               Alice Alfazema

Aprender a olhar

03.01.11, Alice Alfazema
  Houve um tempo em que minha janela se abria sobre uma cidade que parecia ser feita de giz.Perto da janela havia um pequeno jardim quase seco. Era uma época de estiagem, de terra esfarelada,e o jardim parecia morto. Mas todas as manhãs vinha um pobre com um balde e,em silêncio, ia atirando com a mãoumas gotas de água sobre as plantas.Não era uma rega:era uma espécie de aspersão ritual,para que o jardim não morresse.E eu olhava para as plantas, para o homem,para as gotas de (...)

Fadas

14.11.10, Alice Alfazema
      A criança que pensa em fadas e acredita nas fadas  Age como um deus doente, mas como um deus.  Porque embora afirme que existe o que não existe Sabe como é que as cousas existem, que é existindo,  Sabe que existir existe e não se explica,  Sabe que não há razão nenhuma para nada existir,  Sabe que ser é estar em algum ponto  Só não sabe que o pensamento não é um ponto qualquer.      Alberto Caeiro