Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Sobre o cante alentejano

02.12.14, Alice Alfazema
Que bom sermos património imaterial da humanidade, pertencemos agora ao mundo, deixámos de ter vergonha daquilo que fomos, que bom! Já não temos só raízes aristocráticas, que bom! Afinal há um qualquer familiar do povo que nos pertence, pois agora somos da humanidade inteira, e isso é importante,  que bom! Queremos ser sempre importantes, mas para isso é preciso que outros de fora do rectângulo nos digam, que bom!     Parabéns a todos os que nunca tiveram vergonha de (...)

A pesca do cerco - Património Imaterial

22.06.13, Alice Alfazema
Como o tempo é de comer sardinhas deixo-vos aqui um pequeno texto que fiz sobre a pesca do cerco, quando comerem o peixe lembrem-se que ele não vem das bancadas do hiper ou de um outro qualquer lugar, mas sim daquele mar lindo que temos e que é pescado por gente que sabe muito de suor e de lágrimas.       A pesca de cerco é uma arte que se enquadra no âmbito de (...)