Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Luxo

13.11.20, Alice Alfazema
Ilustração Edward B. Gordon   A mulher do vestido verde espera, põe as mãos na cintura para clarear os pensamentos, como se aquela linha que separa a base do resto tivesse a capacidade de lhe levar para outros patamares. É um vício pensar assim. Enquanto se apoia nas suas próprias mãos, não sente necessidade de ninguém.  Podia olhar o horizonte infinitamente e ficar hipnotizada pela luz opaca daquele pensamento que lhe invade (...)

O "sorriso audível das folhas."

03.11.20, Alice Alfazema
Ilustração Laia Albareda     Sorriso audível das folhas, Não és mais que a brisa ali. Se eu te olho e tu me olhas, Quem primeiro é que sorri? O primeiro a sorrir ri.   Ri, e olha de repente, Para fins de não olhar, Para onde nas folhas sente O som do vento passar. Tudo é vento e disfarçar.   Mas o olhar, de estar olhando Onde não olha, voltou; E estamos os dois falando O que se não conversou. Isto acaba ou começou?   Poema de Fernando Pessoa    

Entrelaçados

13.10.20, Alice Alfazema
  Ilustração Valentí Gubianas   Estas folhas que agora caem são diferentes, nasceram enquanto festejávamos a Primavera confinados dentro de casa, na altura em que se ouviam palmas à janela e se punham arco-íris à janela. Talvez eu vá guardar algumas destas folhas dentro de um livro, irei elegê-las como marcadores de páginas e de tempo. Hoje de manhã caminhei em frente ao Sol, e num passo vagaroso observei o resto do orvalho que ainda havia nas ervas bravias, a brisa bem (...)

Vermelhinhas

07.10.20, Alice Alfazema
Ilustração Ada Breedveld    As maçãs adoram fazer escuridão. Cobrem o rosto e agonizam, indefesas sobre um prato   Se mordidas com força, sua argúcia se perde, voam ao vento e ruborizam de vergonha.   As maçãs têm olhos, mas ninguém percebe. Franzem sobrancelhas, sentem frio, se soerguem e interrompem sem coragem de falar.   Quando tristes, se estragam mais depressa. Perdem a avidez na terra extensa do incerto, morrem de vergonha,   nuas, mas vestidas.     Poema (...)

Malha sobre malha

05.10.20, Alice Alfazema
Ilustração  Dean Gazeley Picco                       Malha sobre malha                               Agulha com agulha                             Fora e dentro                                        Abaixo e acima                                                        Construção                                                                    Transformação (...)