Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Orvalho

13.04.20, Alice Alfazema
  Deixa que o orvalho lave a poeira dos caminhos.     Deixa que a pedra rosada se incendeie com o Sol e que as chamas iluminem o destino tão incerto e frágil, quanto a carne que um dia, será apenas pó.     Deixa que o amor, num simples abraço se eternize antes que o corpo nada mais precise.     Deixa que o sonho não seja fantasia que ressuscite em cada dia e fique gravado em cada um de nós ! Deixa!       Poema Lita Lisboa, in Nuances Poéticas 

Dezembro - Dia 22 - Maravilha

22.12.19, Alice Alfazema
  Ilustração Anna e Elena Balbusso     O mundo é maravilhoso. O Sol é maravilhoso. A Lua é maravilhosa. Assim, como todos os animais, plantas, rios, mares, oceanos, todo o ser vivo é maravilhoso, porque tem em si a natureza das coisas, a compreensão do universo repartido por cada um. O maravilhoso e único lugar onde nos estamos descobrindo a cada instante. 

Uma pergunta por dia: Andarmos distantes da Natureza torna-nos fúteis?

25.10.14, Alice Alfazema
  Num dia excessivamente nítido, Dia em que dava a vontade de ter trabalhado muito Para nele não trabalhar nada, Entrevi, como uma estrada por entre as árvores, O que talvez seja o Grande Segredo, Aquele Grande Mistério de que os poetas falsos falam.   Vi que não há Natureza, Que Natureza não existe, Que há montes, vales, planícies, Que há (...)