Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

A divisão do tempo e das imagens

25.08.20, Alice Alfazema
  Não te chamo para te conhecerEu quero abrir os braços e sentir-teComo a vela de um barco sente o vento    Não te chamo para te conhecerConheço tudo à força de não ser      Peço-te que venhas e me dêsUm pouco de ti mesmo onde eu habite     Poema de Sophia de Mello Breyner Andersen , in  No Tempo Dividido   

No passeio e no lancil

23.03.20, Alice Alfazema
  O passeio e o lancil estão agora bordados a papoilas, a cada dia o bordado se transforma, estão repletos de pontos vermelhos e ondulantes. Vermelho sangue, vermelho de luta, vermelho energia, vermelho chacra da raiz, impulso de sobrevivência.