Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

É Natal outra vez

24.12.18, Alice Alfazema
    Roubei esta fotografia à miúda. Não me dei ao trabalho de fotografar, os olhos dela trazem aquilo que vejo.    Antigamente quando eu era miúda via o Natal em tons de azul bébé, para mim o Natal vinha com essa cor, a festa era sobre um nascimento de um bébé, um menino, depois havia a surpresa das prendas, que chegavam apenas após o nascimento do Menino, na manhã de Natal. Era uma sensação suave e boa, como se aquele bébé fosse de toda a gente. Tínhamos toda a gente, (...)

O Natal é a festa da família ou da falsidade?

16.12.18, Alice Alfazema
  Ilustração Virpi Pekkalan     Nasce um Deus. Outros morrem. A verdade Nem veio nem se foi: o Erro mudou. Temos agora uma outra Eternidade, E era sempre melhor o que passou.   Cega, a Ciência a inútil gleba lavra. Louca, a Fé vive o sonho do seu culto. Um novo Deus é só uma palavra. Não procures nem creias: tudo é oculto.    Fernando Pessoa

Conversas da escola - De microfone na mão

13.12.18, Alice Alfazema
Eu sei que adoram estas conversas da escola. Esta semana tem sido de queimar os neurónios(os poucos que ainda resistem), houve muita atividade, muita mastigação de bolos e outras enfardaduras, gritaria, bulhas, nevoeiro, chuva, micro-ondas avariado, barulho de obras, muito pó no ar e no chão. Já tinha dito gritaria? E refilanços. E males de amor. Dores de barriga. Dores de cabeça. Má disposição geral. Vómitos.   Assim, como podem calcular foi muito animada a minha semana de (...)

A luz que ilumina a nossa sociedade

10.12.18, Alice Alfazema
  Ilustração May Ann Licudine     É Dezembro, está sol e estão duas mulheres à minha frente, ainda não têm quarenta anos, o filho de uma tem doze anos, a filha da outra dez. Falam dos jogos eletrónicos que os filhos jogam. Eu oiço. Enquanto bebo o meu café observo como falam e como riem. Estão descontraídas. "Eles divertem-se com aquilo, falam online e têm nomes de código", diz uma, "sim, ontem a minha estava chateada, porque não conseguiu acabar o jogo, mas disse-me (...)

Confissão

04.12.18, Alice Alfazema
  Ilustração Samy Briss    Confesso que tenho andado a contar, com muita ansiedade e emoção, os dias que faltam os dias, as horas, os minutos  que faltam para terminarem as aulas, para o Natal. O silêncio que há nas férias de Natal fascina-me. O Natal é tão bom!

O meu Presépio de Natal

22.12.17, Alice Alfazema
Este é o meu presépio, feito com figuras de barro que pertenceram à minha mãe, uma herança feita de terra vermelha, um rei já tem o pescoço colado, caiu do camelo, mas continua no activo, fazendo a sua parte levando todos os anos a sua oferta ao Menino.     Os camelos estão cansados da longa viagem que fizeram do sótão até à sala, estiveram mais de duas semanas no corredor fechados numa caixa colada com muita fita cola e embrulhados em papel de propaganda. Finalmente viram (...)