Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Rugas

26.12.20, Alice Alfazema
Fotografia de Artur Pastor, Póvoa do Varzim, Portugal, décadas 50/60, séc. XX.    As rugas fazem-me lembrar as páginas de um livro, como se em cada uma houvesse passagens diferentes, diálogos, lembranças, tristezas, o tempo, o tempo que foi preciso para que cada uma delas se tornasse visível, o que levou a que isso acontecesse e as outras que vão surgindo, sobrepondo-se a todas as outras, e aquelas já profundas, e as que emergem quando um riso força as instaladas a serem (...)

Mulheres

28.01.20, Alice Alfazema
  Ilustração Catrin Welz-Stein     Há mulheres que trazem o vento no corpo. Irmãs das tempestades, são cúmplices dos seus próprios naufrágios. Ficam suspensas nos seus dedos de água quando é suave a sua ancoragem. À noite repousam exaustas. Procuram nas margens dos rios e no emaranhado dos bosques um lugar onde remansear a tortura das ondas que as assolaram. A almofada sabe-lhes a nuvem, a novelos leves de algodão onde submergem a face e sorriem ao sono. Acordam com a (...)