Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Privilégio

08.12.19, Alice Alfazema
    “Mas eu fui ver a terra. Caminhei muito, muito. Subi a montanhas… Lembro-me que no Alasca um aviãozinho largava-me num ponto e vinha-me buscar dez dias depois, ou duas semanas depois, dependendo do clima. Ficava em paz, sozinho. Subi àquelas montanhas a aprender a ver o meu planeta, a integrar-me nele. A partir de um momento era parte daquele todo. Quis muito olhar o todo. Fui o anão e o gigante ao mesmo tempo, porque eu também sou natureza, estive ligado a tudo. O nosso (...)

O nosso mundo

01.07.13, Alice Alfazema
    Ilustração Lea Bradovich   Era bom que homenageássemos mais vezes a Natureza, pois é por ela que andamos por aqui. Talvez a insatisfação geral que se manifesta no mundo esteja correlacionada com isso. Não sei se há estudos que o comprovem, nem teorias que o digam, mas há sentimentos que sentimos, apenas, quando estamos em contacto com a Natureza.   Alice Alfazema