Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

#diariodagratidao 08-01-2019

08.01.19, Alice Alfazema
  Ilustração  Sophie Blackall    Hoje estive a pensar sobre as minhas memórias. As memórias que tenho daqueles que já não existem nesta dimensão. Viajei por elas e tenho muitas que me deixam feliz, outras saudades, outras não quero saber delas. As memórias são uma herança boa ou má que se dá sem ninguém pedir. E temos que ficar com elas para sempre ou até nos esquecermos. Pode ser tudo o que nos resta, pode ser um escape, ou uma solução.   Hoje estou grata por (...)

Ao longe

23.01.16, Alice Alfazema
  Ilustração Kei Meguro     Às vezes tenho medo de esquecer tudo: a casa onde nasci, o recreio da escola, essas vozes que lembram um copo de água no verão.   Jorge Gomes Miranda   Às vezes tenho medo de me esquecer que já me ri por tudo e por nada, que já fui menina, que já subi às árvores, que já fui inocente.    Alice Alfazema              

Poemas, telas, rosas e tranquilidade

17.04.14, Alice Alfazema
  a lavish helpingof raw linenechoes as it falls into placethe sun steeps the white wallsa song rambles and floatsand the voice of paintin all of its graininesssings freely in gesturemelding back into itselfas history flirts about in my time  Pintura e poema Darlene Cole     Alice Alfazema