Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

O pão de cada dia

16.10.10, Alice Alfazema
    Que o pão encontre na boca O abraço de uma canção inventada no trabalho Não a fome fatigada de um suor que corre em vão Que o pão do dia não chegue sabendo a resto de luta e a troféu de humilhação Que o pão seja como flor festivamente colhida por quem deu ajuda ao chão Mais do que flor, seja o fruto nascendo límpido e simples sempre ao alcance da mão Da minha e da tua mão  Thiago de Mello, Barreirinha, Brasil