Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Porque o Dia da Mãe é sempre que um filho quer

28.04.21, Alice Alfazema
    Mãe descobri que o tempo pára E o mundo não separa o meu coração do teu Eu sei que essa coisa rara Aumenta, desassossega mas pára Quando o teu tempo é o meu   Mãe canta com vaidade Porque já tenho idade Pra saber Que em verdade em cada verso teu Onde tu estás estou eu   Mãe contigo o tempo pára Nosso amor é coisa rara E cuidas de um beijo meu Sei que em cada gesto teu Está teu coração no meu   Mãe canta com vaidade Porque já tenho idade Pra saber (...)

Olhos de gato

07.08.19, Alice Alfazema
Gosto de gatos vadios, daquele olhar inconfundível de indiferença perante quem passa. Eu estou aqui, mas só me apanha quem eu quiser.    Quando eu era miúda tinha gatos, mas eram gatos hóspedes, iam a casa quando queriam e nem dormiam por lá, miavam bem alto quando lhes apetecia e participavam em grandes lutas com os gatos dos vizinhos.     Quase todos os nossos vizinhos tinham gatos, não me lembro de cães. Os gatos não eram vacinados e muitas vezes nem tinham nome. Os (...)

#diariodagratidao 08-04-2019

08.04.19, Alice Alfazema
  Estive a descascar favas, pela casa está o cheiro das favas feitas com entrecosto e chouriço, em cima um molho de cheiros, o cheiro deixa antever os sabores que se propagam pelo ar. Será a primeira vez este ano que as como.   Gosto de descascar favas, lembra-me sempre aquele momento...há muito tempo, quando eu ainda trabalhava numa fábrica e em que não havia telemóveis. Assim, estando eu a trabalhar sou chamada ao gabinete da chefe da fábrica, vou sem pensar naquilo que me (...)