Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Diário dos meus pensamentos (53)

Açaime

11.05.20, Alice Alfazema
Hoje compreendi profundamente o meu cão, e a sua fúria em relação ao açaime, reconheço em mim que aquilo pode ser aflitivo, mas depois de um certo tempo habituamo-nos e após muitas horas com a máscara posta na cara, chega finalmente a altura de a tirar e aí fiquei com aquela sensação  que deixei de ter focinho, ou melhor senti a falta dele.  

Risos antigos

03.03.14, Alice Alfazema
  A máscara traduz a alegria das alternâncias e das reencarnações, a alegre relatividade, a alegre negação da identidade e do sentido único, a negação da coincidência estúpida consigo mesmo; a máscara é a expressão das transferências, das metamorfoses, das violações das fronteiras naturais da ridicularização, dos apelidos; a máscara encarna o princípio do jogo da vida, está baseada numa peculiar interpretação da realidade e da imagem, característica das (...)