Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

#diariodagratidao 23-05-2019

23.05.19, Alice Alfazema
  Ilustração Rafal Olbinski   Cheguei a casa e descansei, não pus os pés na Lua, mas retirei-os do chão. Continuo a surpreender-me com a subtileza do mal, com os sorrisos descarnados de empatia. Sentei-me e desejei por os pés na Lua, mas a minha perna era demasiado curta.   

Não me apressem

28.05.18, Alice Alfazema
  Ilustração  Spyrre     Quando eu morder a palavra, por favor, não me apressem, quero mascar, rasgar entre os dentes, a pele, os ossos, o tutano do verbo, para assim versejar o âmago das coisas.     Ilustração  Scott Kahn     Quando meu olhar se perder no nada, por favor, não me despertem, quero reter, no adentro da íris, a menor sombra, do ínfimo movimento.   Ilustração  Leszek Kostuj     Quando meus pés abrandarem na marcha, por favor, não me forcem. Cami (...)

(Uma ajudinha) Para os homens que não entendem as mulheres

20.01.16, Alice Alfazema
    Há um poema que explica bem aquilo que não é entendível a olho macho.    Tenho fases, como a lua, Fases de andar escondida, fases de vir para a rua... Perdição da minha vida! Perdição da vida minha! Tenho fases de ser tua, tenho outras de ser sozinha. Fases que vão e que vêm, no secreto calendário que um astrólogo arbitrário inventou para meu uso. E roda a melancolia seu interminável fuso! Não me encontro com ninguém (tenho fases, como a lua...). N (...)

Se vierem por aí os tais 30º

28.03.15, Alice Alfazema
Pintura Andre Kohn   Caminharei junto ao mar. Talvez dê um mergulho. Talvez.   - amo-te. insistiu ele. - eu não. respondeu ela. - e se nos voltarmos a encontrar? perguntou ele. - eclipses. nada mais. respondeu a lua ao sol.   Jorge Serafim, in A Sul de Ti.     Alice Alfazema  

Caras conhecidas

10.09.14, Alice Alfazema
  Ilustração Chris Sheban   Ontem estive a olhar a Lua, e vi nela caras conhecidas. Não sou uma mulher noctívaga, mas gosto da Lua, daquele brilho prateado. Um brilho antigo, tal como as caras que vi. Saudades.   Alice Alfazema

Lírio

18.10.10, Alice Alfazema
  Lírio do Gerês (Foto de Jorge Lima)   Na Antiguidade, os feiticeiros e os magos consideravam os lírios como mensageiros de Hera, a deusa da Lua. É uma das flores mais antigas do Mundo e simboliza a tranquilidade e a constância.