Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Micro contos - A juntar as sílabas

10.04.18 | Alice Alfazema | ver comentários (1)
 Deitei-me ali e abri o livro, entrei dentro daquelas palavras escritas, mergulhei em cada virgula, parei em cada ponto, senti-me um mendigo, voei como uma ave selvagem, respirei cada momento, lembrei-me de mim e dos outros, virei a última página. Fim.  Alice Alfazema 

Uma Família nos tempos de Salazar

08.04.18 | Alice Alfazema | comentar
 No dia 31 de outubro, véspera do dia de Todos-os-Santos, foram os três arranjar as campas do cemitério de Pedra Maria. O pequenino ficou com a caseira, a do Lanhas. Lavaram a pedra mármore da lápide tumular de António com lixívia bem forte e esfregaram (...)

Livros

09.03.18 | Alice Alfazema | comentar
Ilustração  Laura Lacambra Shubert  Eu lia há muito. Desde que esta tardecom o seu ruído de chuva chegou às janelas.Abstraí-me do vento lá fora:o meu livro era difícil.Olhei as suas páginas como rostosque se ensombram pela profunda reflexãoe em redor da minha (...)

Criar laços

22.11.17 | Alice Alfazema | ver comentários (1)
Fotografia de Michał Lewandowski  Foi então que apareceu a raposa:– Bom dia – disse a raposa.– Bom dia – respondeu o principezinho com delicadeza. Mas ao voltar-se não viu ninguém.– Estou aqui – disse a voz -, debaixo da macieira…– Quem és tu? – (...)

Conversas da escola - Continisticália

18.11.17 | Alice Alfazema | ver comentários (9)
 Ainda não li este livro, mas estou deveras entusiasmada por o fazer, como custa quinze euros vou juntar umas moedinhas e comprá-lo assim que possa. Gosto do título e da fotografia e assim que o vi lembrei-me de outros empregados que também precisam de uma (...)

Coisas do nosso tempo

09.06.17 | Alice Alfazema | comentar
   Psicopatas não são apenas os assassinos em série: são também as pessoas que no nosso dia a dia violam persistentemente os direitos dos outros, confrontam a lei e prejudicam o próximo sem qualquer sentido de cidadania ou ética.  Diogo Telles Correia, (...)

"Navegar é preciso; viver não é preciso."

23.04.17 | Alice Alfazema | ver comentários (2)
 Ilustração Marián Lario   Navegadores antigos tinham uma frase gloriosa: "Navegar é preciso; viver não é preciso." Quero para mim o espírito desta frase, transformada A forma para a casar com o que eu sou: Viver não É necessário; o que é necessário é criar. Não conto gozar a minha vida; nem em goza-la penso.

O livro

23.04.17 | Alice Alfazema | comentar
 Ilustração  Anna Pini    O mais singular livro dos livros É o Livro do Amor; Li-o com toda a atenção: Poucas folhas de alegrias, De dores cadernos inteiros. Apartamento faz uma secção. Reencontro! um breve capítulo, Fragmentário. Volumes de mágoas Alongados (...)