Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

As palavras que estão nos livros, o destino e as circunstâncias

23.06.20, Alice Alfazema
    - Olhe,  Daniel. O destino costuma estar ao virar da esquina. Como se fosse um gatuno, uma rameira, ou um vendedor de lotaria: as suas três encarnações mais batidas. Mas o que não faz é visitas ao domicílio. É preciso ir atrás dele.       Cada livro, cada volume que vês, tem alma. A alma de quem o escreveu e a alma dos que o leram e viveram e sonharam com ele. Cada vez que um livro muda de mãos, cada vez que alguém desliza o olhar pelas suas páginas, o seu (...)

Diário dos meus pensamentos (47)

05.05.20, Alice Alfazema
Ilustração  Dani Torrent   Cada pessoa tem o seu mapa imaginário, os nossos pensamentos são formas de comunicarmos, e através deles passamos sensações aos outros, pode ser um olhar, um sorriso, o tom da nossa voz,  as nossas atitudes corporais. Os nossos pensamentos afectam os nossos músculos, se pensarmos em algo bom podemos nos descontrair, se pensarmos em algo mau é possível que tenhamos tensão e irritabilidade. Se pensarmos constantemente no mesmo que tamanho terá o (...)

Saborear

14.08.19, Alice Alfazema
    O velho dizia: Ler, é como comer uma maçã! Mas o jovem mergulhava os olhos no livro mergulhava a cabeça e todo o corpo.   Mergulhava e mergulhava tempos infinitos no mar de palavras. Bebia frases inteiras, páginas, capítulos... bebia sem respirar.   E bebia outros livros que se seguiam aos livros que lia. Bebia sem parar. E o velho dizia: - Não esqueças... ler é como comer uma maçã!     E a cada manhã, o jovem lia, lia e lia. E a cada manhã o velho repetia: Ler, é (...)