Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Bom dia ūüíč

14.09.19, Alice Alfazema
  Ilustração Roshi Rouzbehani   Há muito tempo, na cidade de Zahlé, ocorreu uma rixa entre um jovem poeta, de nome Fauzi, e um oleiro, chamado Nagib. Para evitar que o tumulto se agravasse foram levados à presença do juiz do lugarejo. O juiz, homem íntegro e bondoso, interrogou primeiramente o oleiro, que parecia muito exaltado.  - Disseram-me que você foi agredido? Isso é verdade? - Sim, senhor juiz.  - confirmou o oleiro - fui agredido em minha própria casa por este (...)

Um copo de leite e o resto da vida

02.06.18, Alice Alfazema
Ilustração  Sarah K. Lamb       Um dia, um rapaz pobre que vendia mercadorias de porta em porta para pagar seus estudos, viu que só lhe restava uma simples moeda de dez centavos e tinha fome.   Decidiu que pediria comida na próxima casa. Porém, seus nervos o traíram quando uma encantadora mulher jovem lhe abriu a porta. Em vez de comida, pediu um copo de água.   Ela achou que o jovem parecia faminto e assim lhe deu um grande copo de leite. Ele bebeu devagar e depois lhe (...)

A lenda do entrecosto carnudo

27.09.16, Alice Alfazema
No ano do senhor de MMXVI, uma lind√≠ssima dama vai √†s compras ao hipermercado Continente, tinha na sua mente fazer uma gostosa sopa de feij√£o com carne e legumes para o jantar. Apressa-se ent√£o¬†a chegar ao talho e olha a vitrine recheada de carnes e promo√ß√Ķes, que poderiam transformar-se em manjares de deuses. Haviam costeletas¬†de su√≠no, frango do campo, lombo de porco, codornizes, entremeada, bife de vaca...e eis que chega o rapag√£o do talho, dentro da sua farda de quase (...)