Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Diz-me como lês e dir-te-ei quem és ;)

04.02.16, Alice Alfazema
  Ilustração Ilaria Urbinati   Como agora se fazem estudos de tudo e de nada, para que conste e para quem queira analisar este blog ou a sua autora, eu,  a minha posição preferida para ler é a que se manifesta na imagem acima. Não sei o que isto significa em termos psicológicos, mas que é bom é.    Alice Alfazema  

Arte de rua

05.08.14, Alice Alfazema
Pintura Jef Aerosol   Eu tive uns sapatos destes quando era miúda, encarnados, nessa altura não se dizia vermelho. Lembro-me também de sentir as imagens saírem dos livros e da sensação maravilhosa de descobrir novas leituras. As primeiras.   Esta parede velha parece rejubilar ao ter de novo a missão de abrigo de outrora.   Alice Alfazema

Leitura

26.04.14, Alice Alfazema
Pintura  Alfred Stevens       O texto que o senhor escreve tem que me dar prova de que ele me deseja. Essa prova existe: é a escritura. A escritura é isto: a ciência das fruições da linguagem, seu kama-sutra (desta ciência, só há um tratado: a própria escritura).  Roland BarthesAlice Alfazema