Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Das coisas da vida que não entendo

04.02.19, Alice Alfazema
Estamos no Inverno, as pessoas andam agasalhadas pela rua, está frio, muito frio. É Inverno e as pessoas dizem-me que dormem com lençóis polares, cobertores e mantas, camisa interior, pijama polar, meias. Não entendo, não entendo, se estão em casa, debaixo de um tecto, sem vento, sem chuva, sem geada, porque têm de dormir com tanta roupa em cima do pêlo? 

O Rei da Manta

08.01.17, Alice Alfazema
  Ginjas I é o rei da Manta, da do sofá e das outras que vai apanhando cá por casa. Fez o especial favor de se deixar fotografar para o blogue porque queria voltar outra vez para o Vale da manta, sua terra preferida em tempos de dura friagem.    Alice Alfazema  

Frio

17.02.16, Alice Alfazema
  Ilustração  Fred Calleri     E olho as miúdas sem frio, com decotes de Agosto, belas e roxas desfilam em calções curtinhos. Não há frio que lhes trespasse a pele. E eles com os nós dos dedos esbranquiçados, de camisa de manga curta vestida, com luvas e cachecol, às vezes gorro. Dizem alegres - Não tenho frio! Não tenho frio! Entretanto limpo o nariz com um daqueles lenços com mentol, ponho-o na algibeira, onde já moram outros. Espirro mais uma vez! Tenho os (...)

Branco

10.01.16, Alice Alfazema
Ilustração  Robert Wart   Eu não gosto de neve, não gosto de mantos brancos que escondem o meu querido verde. É tudo sem cor. Eu gosto de cor.   Haverá céu azul que aceitas, O rosto que se fartará... De lágrimas desfeitas Não te assustes...são flocos de neve!   Cobrirá campos procipícios Chaminés seu fumar... De olhares, vícios... Falará gelo, frio de arrepiar.   Haverá ruas lamacentas, De cor singular... Esqueceram da aguarela, Outra cor pincelar!   As aves que (...)

Chá

10.01.15, Alice Alfazema
 Ilustração Sandrine Kao   Bebi o meu chá, procurei nele o calor, senti o sabor das plantas e o líquido quente escorrer através da garganta. Vi-me reflectida no meio do bafo que saía da chávena. Aspirei o aroma. Senti o calor que me aqueceu as mãos enregeladas. Agarrei-me à chávena procurando consolo. Abandonei o frio, mas ele persegue-me.    Alice Alfazema  

O Inverno

15.12.14, Alice Alfazema
Pintura Godfried Schalchen   Inverno não é tempo de um !!! Inverno é tempo de dois... Tempo de tudo em dobro: Duas meias... Duas calças... Duas blusas... Um, com esse frio, congela. Já um casal... quebra o gelo, Debaixo das cobertas Produzem muito calor... O calor gerado esquenta o corpo E o corpo quente... Ai, como aquece o amor...   Anna Paola    Alice Alfazema

O Inverno chegou e com ele uma nova Era

21.12.12, Alice Alfazema
  Olho a Serra E vejo Flores,  Flores deste tempo.   E o Mar Tem uma voz diferente, Vinda nas marés De vendavais distantes...   O teu Mundo esconde-se Não sei onde... Apenas o verde ao longe Brilha como Luz Projectado em ti...   Procuro aproximar-me Mansamente... Amar Esquecer Adormecer   Longe do meu Mundo!...     Maria Luísa Maldonado Adães Alice Alfazema