Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Micro contos - Festival

11.04.21, Alice Alfazema
Abeirei-me daquele aglomerado rosa, era um rosa vivo e elegante que não consegui captar como queria, entre nós um vento leve provocava uma dança suave,  parecia que havia música naquele silêncio. E de repente ali estava eu, num festival de flores.  

27

27.03.21, Alice Alfazema
  ama os teus sonhoscomo o teu próximoou como os sonhosdo teu próximomas se o teu próximonão tiver sonhosconvém mandar o teu próximopara muito longedonde não te possacontaminar  Poema de Alice Vieira

12

Saúde!

12.03.21, Alice Alfazema
  Uso a palavra para compor meus silêncios. Não gosto das palavras fatigadas de informar. Dou mais respeito às que vivem de barriga no chão tipo água pedra sapo. Entendo bem o sotaque das águas. Dou respeito às coisas desimportantes e aos seres desimportantes. Prezo insetos mais que aviões. Prezo a velocidade das tartarugas mais que a dos mísseis. Tenho em mim esse atraso de nascença. Eu fui aparelhado para gostar de passarinhos. Tenho abundância de ser feliz por isso. Meu (...)