Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Pensar e resistir

25.06.19, Alice Alfazema
      Qual é o papel da Educação hoje? O papel da Educação é de ajudar os alunos a enfrentar problemas da vida. Isso de uma forma geral, mas sobretudo num mundo em crise. Eu fiz vários livros sobre Educação e, para mim, a ideia fundamental é que falta nos programas de Educação alguns temas fundamentais para que as pessoas possam enfrentar problemas da vida.   Que temas são esses? Em primeiro lugar, a Educação trata de de conhecimento, mas é preciso fazer a pergunta: o (...)

Inteligência colectiva

24.08.18, Alice Alfazema
Ilustração  Fernando Cobelo     Acredita que existe uma inteligência colectiva que vai ajudar a humanidade a pensar o mundo em que vive e a preocupar-se com o seu futuro (e o do planeta) e não com apenas cada indivíduo com o seu próprio futuro?   Sim, os humanos pensam mais em grupo do que individualmente. Cerca de 99% das ideias que moldam a nossa visão do mundo foram criadas por outras pessoas. Além disso, os três grandes problemas que a humanidade enfrenta hoje são, na (...)

Micro contos - O lado prático

29.06.18, Alice Alfazema
  Era uma vez um menino que gostava de inventar, experimentar emoções e sentir o lado prático da vida.        E uma menina que gostava de brincar com a sombra e ver os reflexos na água.     Um dia cresceram e esqueceram-se da infância e do lado prático da vida.           Passaram então a caminhar sem parar, dia após dia. Começaram a chamar lamechas às emoções. Com o tempo foram  perseguidos pelas sombras e ficaram perdidos nos seus reflexos.              (...)

O que são os deveres humanos?

27.11.17, Alice Alfazema
  Eu digo muitas vezes que o instinto serve melhor os animais do que a razão a nossa espécie. E o instinto serve melhor os animais porque é conservador, defende a vida. Se um animal come outro, come-o porque tem de comer, porque tem de viver; mas quando assistimos a cenas de lutas terríveis entre animais, o leão que persegue a gazela e que a morde e que a mata e que a devora, parece que o nosso coração sensível dirá «que coisa tão cruel». Não: quem se comporta com crueldade (...)

Sofrimento

25.10.16, Alice Alfazema
  Ilustração Marisa McConkie     É preciso muito para conhecer o sofrimento alheio, é necessário desprender-se das crenças enraizadas no nosso quotidiano, pensar, pensar além daquilo que conhecemos, daquilo que somos.   Hoje vemos o sofrimento como uma banalidade, como uma causa escolhida, vemo-lo na televisão, nos jornais e revistas, no bairro do lado, na cidade dos outros, em outros países, noutro continente.   A violência das palavras e das imagens fazem parte do menu (...)

Beijos

26.01.16, Alice Alfazema
  O caminho da vida pode ser o da liberdade e o da beleza,     porém nos extraviamos.     A cobiça envenenou a alma dos homens, levantou inúmeras muralhas do ódio,     e tem nos feito marchar a passos de ganso para a miséria e morticínios. Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela.       A máquina, que produz abundância, tem nos deixado em penúria.     Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e (...)

Bom dia macacada

25.08.15, Alice Alfazema
Fotografia Marsel van Oosten   Eles queriam ser diferentes, especiais, esforçavam-se. Sorriam todos os dias, escreviam coisas bonitas sobre os perfumes, as roupas e os cosméticos que usavam aos milhares, eram cosmopolitas, sempre na moda. Pensavam que não faziam parte de nenhum padrão. O tanas. Não passam de uns macacos iguais a tantos outros.    Alice Alfazema