Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Em sintonia

26.01.21, Alice Alfazema
Ilustração Laimonas Šmergelis Em sintonia o som se propaga até às memórias, e nelas fazemos analogias, faremos muitas se soubermos encadear as diversas origens, necessidades, causas, probabilidades. Numa outra dimensão, num mesmo terreno, sendo assim uma permacultura da sociedade, numa cultura permanente de gestão da degradação social. Pensar e conceber sistemas regenerativos às nossas necessidades e ao meio ambiente global, numa ética em acordo com o planeta e os seus (...)

"o outro lado do mundo é igual ao outro lado do mundo."

15.01.21, Alice Alfazema
Ilustração Jacub Gagnon    Estamos num tempo em que temos de ter a paciência e o vagar de um camaleão, e de sentir aquele poder de mudar a pele cada vez que é necessário. Ocasião. Acaso.    esta é uma vila com mais de dez milhões de habitantes são carros e gente e bicicletas num caos perpétuo. é certamente uma vila porque as pessoas têm mãos sujas e expectativas de sobrevivência pelo seu próprio cultivo da paz interior. vidas de néon que constantemente atravessam estradas em direção a catedrais contemporâneas:

A realidade prática da dependência

28.06.14, Alice Alfazema
  Pintura Julio Romero de Torres   "A noção de dependência costumava ser aplicada apenas aos casos de alcoolismo e de consumo de drogas. Mas agora qualquer domínio de actividade pode ser invadido por esta praga. Pode-se ser viciado, logo dependente, do trabalho, do exercício, da comida, do sexo, do amor. E isso acontece porque estas actividades,  e também outros domínios da vida, são agora muito menos estruturados pela tradição e pelo costume do que eram em épocas anteriores.    (...)