Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Mentira

03.06.21, Alice Alfazema
Ilustração  Narjes Mohammadi Não lido nada bem com a mentira, e o que mais se vê e se ouve neste nosso quotidiano são mentiras, mente-se  à descarada e com um à vontade perante os outros como se fosse um bom exemplo. No entanto, sendo a mentira coisa de pouca dura são exemplos vagos que nos indicam que estamos a ir num caminho sem saída. Tal como na perda de confiança há a sensação que algo foi quebrado e jamais será reposto. Ora uma sociedade que se está a afundar em (...)

Ainda

04.12.20, Alice Alfazema
Ilustração  Rolf Armstrong    AindaTenho flores por colherO céu por alcançarCaminhos por percorrer  AindaTenho mágoas por curarNoites por descobrirLágrimas por cristalizar AindaTenho desejo e arrepioSonhos a esvoaçarE sou nascente e rio AindaTenho o tempo por iludirO sol por tocar, o arco-írisA chuva e o vento por abraçar. AindaNão sei como suster o tempoE tenho tantas floresPor semear!  Poema de Alice Queiroz   

Mudanças em tempos de COVID

Na cozinha

21.09.20, Alice Alfazema
Ilustração  Paul Garland   Neste ano de verdadeiras mudanças para mim, tenho-me aventurado na cozinha e em fazer pratos diferentes. Tenho estado  a apostar em comer mais legumes frescos e locais e a misturá-los duma forma aventureira. Tenho experimentado alguns dos quais duvidava gostar. E é interessante verificar que o que a minha mente tinha rotulado não corresponde à verdade.    "Mude, mas comece devagar. Porque a direção é mais importante, que a velocidade. Sente-se em (...)