Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Coisas do nosso tempo - Filosofia

13.08.19, Alice Alfazema
Seria uma atitude ingénua esperar que as classes dominantes desenvolvessem uma forma de educação que proporcionasse às classes dominadas perceber as injustiças sociais de maneira crítica.     Paulo Freire - educador e filósofo brasileiro

Personalidade

10.08.19, Alice Alfazema
  Personalidade supõe complexidade. Não há personalidade simples?     Textos Filosóficos . Vol. II. Fernando Pessoa (1906). (Estabelecidos e prefaciados por António de Pina Coelho.) Lisboa: Ática, 1968. - 147.  

Loendros

01.08.19, Alice Alfazema
  Se eu chegar a ser dum Outro mas de mim não me perdendo  e esse Outro todos os outros que comigo estão vivendo não só homens mas também os animais e as plantas  e os minerais ou os ares e as estrelas tais e tantas terei decerto cumprido meu destino e com que sorte para gozar de uma vida já ressurecta da morte.       Agostinho da Silva, 1989

Pedalar no tempo

27.12.18, Alice Alfazema
  Ilustração Olga Salamatova   Aí, de repente, os meus olhos se abriram, e vi como nunca havia visto. Senti que o tempo é apenas um fio. Nesse fio vão sendo enfiadas todas as experiências de beleza e de amor por que passamos. Aquilo que a memória amou fica eterno. Um pôr do sol, uma carta que recebemos de um amigo, os campos de capim-gordura brilhando ao sol nascente, o cheiro do jasmim, um único olhar de uma pessoa amada, a sopa borbulhante sobre o fogão a lenha, as árvores (...)

Somos inquilinos de algo bem maior do que o nosso pequeno segredo individual?

22.10.18, Alice Alfazema
  Ilustração  Monica Garwood     Não lembro em que momento percebi que viver deveria ser uma permanente reinvenção de nós mesmos – para não morrermos soterrados na poeira da banalidade embora pareça que ainda estamos vivos.   Mas compreendi, num lampejo: então é isso, então é assim. Apesar dos medos, convém não ser demais fútil nem demais acomodada. Algumas vezes é preciso pegar o touro pelos chifres, mergulhar para depois ver o que acontece: porque a vida não tem (...)

O que é felicidade hoje?

09.09.18, Alice Alfazema
  Ilustração  Celine Loup        "Não gosto muito da palavra felicidade, para dizer a verdade. Acho que é, inclusive, uma ilusão mercadológica. O que a gente pode estudar são as condições do bem-estar. A sensação de competência no exercício do trabalho, já se sabe, é a maior fonte de bem-estar, mais que a remuneração. Nós temos um ideal de felicidade um pouco ridículo."      Contardo Calligaris .

Destino

27.06.18, Alice Alfazema
  Quando nós dizemos a palavra "destino" do ser, então queremos dizer que o ser se nos atribui e se aclara e clarificante arruma o tempo-espaço, onde o ente pode aparecer.   No destino do ser, a história do ser não é pensada a partir de um acontecer, que é caracterizado através de uma evolução e de um processo.   Pelo contrário, define-se a essência da história a partir do destino do ser, a partir do ser enquanto destino, a partir daquilo que se nos remete, ao retirar-se.   Ambos, remeter-se e retirar-se, são um e o mesmo. Não de duas maneiras distintas. Em ambos rege de um modo diferente o perdurar mencionado anteriormente, em ambos, isto é, também na retirada, aqui até ainda mais essencialmente.