Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Família

23.09.20, Alice Alfazema
Ilustração Olga Peganova   Como se define o que é família? Quem é parente? Quem está presente? Quem cuida? Quem é da mesma espécie? Ou são os laços visíveis e os invisíveis que nos unem e nos transformam em família? Mesmo que não sejamos do mesmo sangue ou até da mesma espécie.  Parece haver um fio condutor que nos une e nos leva àquilo que pode ser família, mesmo que não estejam reunidas todas as condições que a sociedade  impõe para a designação do termo (...)

A inteligência humana

26.04.20, Alice Alfazema
Ilustração Catrin Welz-Stein   A minha rua tem andorinhas, já teve mais, agora resumem-se a poucos ninhos. Antes haviam pequenos cursos de água, onde as andorinhas iam buscar o barro para fazerem o ninho. Agora está tudo tapado, ou então cobriram o chão das linhas de água com pedras e rede, para ficarem bonitas. O ano passado alguns prédios foram pintados na Primavera, e os telhados foram lavados a esguicho de pressão, levaram todos os ninhos que existiam naqueles locais (...)

Diário dos meus pensamentos (35)

23.04.20, Alice Alfazema
  Ilustração Nerina Canzi   O que podes fazer com o teu vazio? O que faz a praia com a maré vazia? O que faz o pintor com a sua tela vazia? O que faz o escritor com a folha fazia? O que faz o professor com o quadro vazio? O que faz o agricultor com um terreno vazio? O que faz o músico com a pauta vazia? O que faz o pescador com a rede vazia? O  que faz a abelha com a colmeia vazia? O que faz o pássaro com o ninho vazio? O que faz a concha vazia? O que faz o vaso vazio? O que faz a (...)

Diário dos meus pensamentos (27)

15.04.20, Alice Alfazema
No outro dia li algures que devemos escrever com conteúdo, faz-me lembrar as embalagens de arroz que tenho na despensa, todas têm conteúdo, estão cheias, mas haverá quem não goste de arroz, aí passamos para a massa, e por aí fora. Conteúdo pode ser sempre a mesma mistura tal como fiz com as pataniscas de ontem, a diferença foi que não as fritei em óleo, mas o resultado final foi o mesmo. Conteúdo é assim uma fórmula base que vai servir para alcançar o que se quer. E se (...)

Diário dos meus pensamentos (20)

08.04.20, Alice Alfazema
  Ilustração Ilaria Zanellato   Na medidas dos dias lentos e vagos alguma coisa se há-de safar, safam-se os pensamentos e as leituras atrasadas a escrita e as conversas, a família, os amigos o tricot e a culinária. Pensar exige muito tempo, paciência até, pensar não é para gente preguiçosa, pensar é elaborar a mente de energia, mesmo que haja quem pense que não se faz nada. E do nada nasce tudo, apenas ao alcance de um pensamento.