Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Trombetinha

08
Fev13

 

Uma noite, o mosquito disse ao pirilampo: " Eu não acredito que haja no mundo um ser mais útil e ao mesmo tempo mais nobre do que eu. Se um homem não fosse por natureza ingrato, deveria estar-me eternamente agradecido. De facto, não podia ter melhor mestre de comportamento moral. É que as minhas agudas picadelas oferecem-lhe a possibilidade de se exercitar na nobre virtude da paciência. E a fim de que ele se sacuda do seu sono absurdo, quando se deita para dormir, ocupo-me a picá-lo. Possuo também uma trombetinha na boca, com a qual, à maneira de guerreiro, vou proclamando as minhas gestas. Mas tu, pirilampo, que bem trazes ao mundo?".

 

O pirilampo respondeu:"Meu amigo, receio que te enganes quando nos julgas aos dois. Tudo o que julgas que fazes em benefício dos outros, na verdade faze-lo pensando apenas em ti. Quando picas as pessoas, chupas o seu sangue, que ajuda a alimentar o teu ventre. E tocando a trombeta, procuras exaltar a tua acção diante dos teus olhos e à vista dos outros. Na realidade apenas te exaltas a ti próprio. Quanto a mim, não tenho outras qualidades a não ser esta luzinha que arde no meu coração. Com que posso iluminar o caminho a quem está envolto nas trevas da noite. Sei que esta minha luzinha é muito pequena, e gostaria de a fazer maior, mas a minha natureza não o permite. O pouco bem que faço, faço-o em silêncio, sem o alardear ao meu redor. Que as pessoas julguem quem de nós lhes dá maior proveito!".

 

Gaspar Gozzi





Alice Alfazema