Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Bolo de bolacha

17.05.20, Alice Alfazema
  E eis que neste final de dia recebo este bolo, feito pela minha sobrinha e pelo meu cunhado, zero calorias, pelo menos para mim, que só vi a fotografia, esforcei-me tanto a ensinar como se faz o doce de ovos e a paga é esta! E cruéis como são, ainda me mandaram outras a comerem-no. Gente malvada e sem coração, mas a vingança é terrível, e de agora em diante não mais se livrarão de animar as mesas das próximas festas.  

Chá de violetas (1)

Carolina

21.04.20, Alice Alfazema
  Esta chávena pertenceu à minha avó Carolina, é de porcelana levíssima, tão leve que quando a levantamos  temos de estar a olhar para ela para não perder a sensação daquilo que se tem na mão, hoje e pela primeira vez bebi um chá nela, não sei se alguma vez teria sido usada, talvez nalguma visita que a minha avó tenha recebido, quem sabe se não foi a da sua amiga de longa data a Rosalina, a Ti Rosalina de Olhão, loira de pele clara e com as faces coradas, sempre bem (...)

💋 Feliz Natal💋

25.12.19, Alice Alfazema
  Não haveria nada mais fácil no mundo das histórias que escrever um conto de Natal com Menino Jesus ou sem ele, se não fosse dar-se o caso de que uma criança que nasce está sempre nascendo.     O nosso grande erro, esquecidos como em geral andamos das infâncias que vivemos, foi pensar que as crianças nascem uma única vez e que depois de nascidas se limitam a ficar à espera de que o tempo passe e as transforme em adultos, os quais, como deveríamos saber, constituem uma (...)