Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

A olhar o céu

20.07.19, Alice Alfazema
Por vezes os nossos pensamentos são como as nuvens, são muitos, são dispersos, são pesados, são flocos levezinhos e distantes uns dos outros, são únicos. À medida que o tempo passa o cenário muda, quer seja porque está vento, ou muito calor, ou é Inverno, ou Primavera.     Observar a Natureza é das melhores coisas da nossa vida, quem nunca experimentou deveria de o fazer, pois são tantos os pormenores, tantas as cores, tantos os cheiros e tantas as emoções que recebemos (...)

#diariodagratidao 06-04-2019

06.04.19, Alice Alfazema
  Ilustração  Denis Carrier   Hoje foi um sábado igual a tantos outros, fiz os mínimos de limpeza cá em casa, depois estendi roupa, lavei loiça, fiz o almoço, foi peixe cozido com batatas, fui beber um café à rua, espirrei durante grande parte do dia, tenho o nariz inchado, parece que vai explodir a qualquer hora. Vi um filme durante a tarde enquanto o Ginjas e o meu marido dormiam no sofá. Mas o melhor do dia foi ter escrito no blog sobre a

Chá de fim de ano

29.12.18, Alice Alfazema
    Ilustração Paul McKnight   Tenho cá por casa, em muitos sítios, muitos textos escritos por mim, este que vou deixar aqui hoje já não me lembro de quando o escrevi, também me acontece ficar surpreendida com aquilo que escrevo, não me lembro de ter escrito aquilo, poderia escrever muito mais, mas as ideias fogem-me, esqueço-me delas, são como bolas de sabão, puf, já se foram.   Sentem-se confortavelmente e bebam comigo este chá de fim de ano:   Qual a diferença entre (...)

Bom dia :)

05.07.18, Alice Alfazema
  Um dia, quando começa, parece igual aos outros. A mesma luz que entra pela janela, ruídos de obras e automóveis, vozes…   Mas o que nesse dia me falta é outra coisa: a tua voz, a surpresa de cada instante que me dás, uma luz diferente que não vem de fora, da mesma rua e do mesmo céu, mas de dentro de ti.   Assim, o que faz a mudança do mundo e das coisas não é o mundo nem as coisas:   somos nós, e a relação que nos prende um ao outro – isso que, não sendo nada (...)

"A amizade é amar o destino do outro" (São Tomás)

04.06.18, Alice Alfazema
Quando eu era pequena lia algumas vezes a Bíblia e fascinavam-me as história dos Santos. Para mim o Céu e o Inferno eram separados por uma pequena linha extremamente frágil. Uma linha de cristal. Que a qualquer momento poder-se-ia quebrar. Imaginava-a como uma ponte de vidro fino que teríamos que percorrer, que ora nos poderia levar ao paraíso ou ao tão temido inferno.   O percurso de vida dos santos, as suas provações e finalmente a sua conversão eram temas que me punham (...)

Micro contos - Opções

12.04.18, Alice Alfazema
  Ilustração The Whimsey Asylum   A lua espreitou pela janela, desejava saber como correria aquele dia, sentia curiosidade em saber o que se passava lá naquele vale verdejante, onde as pessoas gostavam de passear. Um miúdo viu-a e convidou-a para descer cá abaixo, ela recusou pois não cabia naquela janela.     Alice Alfazema    

As janelas são lugares mágicos?

05.04.18, Alice Alfazema
    Serão as janelas lugares mágicos que transformam a vida? À janela a solidão transforma-se. A pessoa que está só junta-se aos que passam, rodeia-se de vozes e de sons da natureza, vê para além da parede e do cortinado, a uns escassos metros estaria completamente ignorada, ali naquele espaço é vista e às vezes reconhecida.    À janela colocamos a nossa roupa, as nossas plantas que gostamos tanto, deixamos que o sol entre por esses buracos esculpidos na parede. (...)

Este blog faz hoje oito anos

28.03.18, Alice Alfazema
  Ilustração Emilia Dziubak     Em certa ocasião alguém perguntou a Galileu Galilei: - Quantos anos tens? - Oito ou dez, respondeu Galileu, em evidente contradição com sua barba branca. E logo explicou: Tenho, na verdade, os anos que me restam de vida, porque os já vividos não os tenho mais.           Alice Alfazema  

Responde se puderes

03.09.17, Alice Alfazema
  Ilustração Rodrigo Folgueira       E se as histórias para crianças passassem a ser de leitura obrigatória para os adultos? Seriam eles capazes de aprender realmente o que há tanto tempo têm andado a ensinar? .   José Saramago, in  A maior flor do mundo         Alice Alfazema