Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Ultramar, Angola, refugiados, Portugal, racismo, educação, memórias, lembranças, infância...

Vamos aprender a ler nas entrelinhas

31.07.20, Alice Alfazema
  Tirei estas fotografias para vos mostrar como era estudar em Angola nos anos 70 do século passado, muitos de vocês partilharão destas memórias, que até nem são minhas, são do meu marido. Estas páginas são de um livro da 1º classe, onde lhes era ensinado a ler as frases básicas do seu quotidiano.     Nós que por estes dias temos falado tanto em existir racismo em Portugal, esquecemos as feridas que nos foram impostas. A mim calhou-me um pai vindo do Ultramar, obrigado a (...)

Micro contos - Opinião

04.05.20, Alice Alfazema
Ilustração  Víctor Escandell   Era um prédio frágil e com muitos andares, o isolamento acústico era péssimo entre as casas, qualquer pessoa podia ouvir o que se passava na casa de outro vizinho. Era tão real a sensação de estarem na casa uns dos outros que alguns batiam com força à porta dos vizinhos e gritavam a sua opinião sobre a conversa que tinham ouvido desde a sua casa.  

Ó Alicinha Contina, qual a correlação entre a falta de auxiliares nas escolas e o aumento da violência em meio escolar?

07.11.19, Alice Alfazema
Nenhuma. É apenas um mero acaso, de que quando se fala em violência em meio escolar, alguém venha dizer que existe falta de auxiliares. Não há falta de auxiliares. Há auxiliares clonadas desde 2006, que se encontram numa estação quântica à espera de parafusos para poderem actuar através da inteligência artificial, enquanto isso as que já morreram vão fazendo vigilância fantasma, o problema está aí, porque sendo elas de outra dimensão não conseguem dar o corpo ao (...)

O grande problema do ano lectivo anterior e o deste novo ano

30.08.19, Alice Alfazema
Os livros do ano anterior foram entregues a estrear e muitos foram devolvidos em condições lastimosas. Ninguém sabia que não se podia escrever nos livros, nem sublinhar, nem rasgar capas,  parece que ninguém avisou que os livros eram emprestados, atenção: que emprestado não é dado. Pergunta simples: quando vão a uma biblioteca, alguém vos diz que não devem sublinhar ou escrever no livro que têm de devolver? E se escreverem e sublinharem esperam que alguém o vá apagar por (...)

Manuais escolares 2019/2020

20.08.19, Alice Alfazema
Por estes dias na escola a pergunta que se faz é sobre quando se entregam os manuais escolares que vão ser reutilizados. A maioria quer saber isto para poder ver os livros que lhes vai calhar na rifa, muitos dizem que se os livros não estiverem em condições - lindos e maravilhosos - vão comprar uns novos. E eu fico a pensar: quando os manuais eram a pagar, queriam livros gratuitos, agora que são à borla, mas usados, querem comprar novos.    Queridos pais - principalmente mães (...)