Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Publicidade a coisas docinhas e boas

21.08.19, Alice Alfazema
Mais uma vez vou aqui falar sobre as lojas de gomas que proliferam como cogumelos rente às escolas portuguesas. Para quando a legislação sobre a venda e estabelecimentos deste tipo de produtos?   E já agora, acrescentem lá, as bebidas energéticas.  Os impostos que pagam. O tipo e idade dos clientes.  A correlação entre saúde e doença.     

Coisas do nosso tempo - Bruno Lage

19.05.19, Alice Alfazema
  Ilustração Ajubel       Se vocês tiverem a exigência que têm no futebol como nos outros aspetos do nosso Portugal – economia, educação, saúde – vamos ser um país melhor.     Bruno Lage, no seu discurso como treinador campeão do Sport Lisboa e Benfica, em 2019

Alicinha qual é a frase que vais usar quando veres o teu recibo de ordenado?

18.11.18, Alice Alfazema
Às vezes entretenho-me a ler a apreciação dos consumidores sobre os preços da comida que pagaram, ou do preço de um quarto de hotel, ou de uma camisola... Fico sempre surpreendida com a frase: têm uns preços simpáticos.    De agora em diante sempre que receber o meu ordenado vou-me lembrar disso e dizer para mim, numa meditação pós trabalho: Alicinha, tu tens um ordenado simpático! (Cala-te e não refiles. Querias antes ter um ordenado antipático? Querias? Diz lá do (...)

Mudança da hora

01.09.18, Alice Alfazema
Dizem alguns especialistas que as criancinhas que entram na escola no período da manhã vão ser prejudicadas pela não mudança da hora de Inverno, dizem então que o corpo ao acordar com as estrelas ainda não está preparado para acordar, mas o corpo de alguma criança está preparado para se levantar cedo? Depois dizem mais: que as pessoas não vão conseguir começar logo a produzir. E pá, eu já sentia isto! O meu relógio provavelmente anda avariado.   Fiquei assim a pensar, (...)

E esta?

14.04.18, Alice Alfazema
    Precisamos de criar uma nova narrativa para África e trabalhar para promover uma melhor vida para todos os seres humanos. Não é sustentável existir uma diferença tão grande entre as nações desenvolvidas e os países mais pobres.   Isabel dos Santos, grande empreendedora que vendia ovos aos seis anos de idade.         Alic (...)

Porque vou fazer greve dia 26 de Maio?

23.05.17, Alice Alfazema
Lembro-me de ter começado a trabalhar com um horário semanal de quarenta e cinco horas, de termos menos dias de férias, de haver uma ausência de muitos direitos que agora usufruímos. Os tais que damos hoje como de adquiridos e consagrados na lei. Esquecem-se que foi através da garra de muitos trabalhadores e do seu salário que tal foi possível.    Recordo-me de que os chefes raramente faziam uma greve, havia no entanto excepções, sabíamos que tinham um lugar e (...)

Economia à portuguesa

18.03.17, Alice Alfazema
Em relação aos vencimentos de António Mexia e Soares dos Santos:   Não podemos ter setores de privilégio ilimitado, precisamos de regras na economia para que o país possa funcionar e ser mais justo.           Ficamos a saber quanto é que ganharam por ano em 2016 os patrões das maiores empresas portuguesas, estamos a falar de empresas que empregam milhares de trabalhadores com salários modestos, como são os salários em Portugal, estamos a falar de empresas que têm (...)

A corrupção é o fascismo de colarinho-branco?

30.07.16, Alice Alfazema
O terrorismo não se esgota nos atentados suicidas, nem no fundamentalismo mascarado de religião, nem no maniqueísmo simplista nós bons/eles maus. Ah pois não. Ele há mais terrorismo. O das famigeradas “sanções” da alegada União supostamente Europeia, por exemplo. Intolerável ingerência na soberania de cada Estado mais “periférico” (isto é: tudo o que não é Paris, não é Bruxelas & não é Berlim), todo este aparato dos “défices estruturais” e da (...)