Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Pele negra

30.03.19, Alice Alfazema
Você pode me riscar da História com mentiras lançadas ao ar. Pode me jogar contra o chão de terra, mas ainda assim, como a poeira, eu vou me levantar. Minha presença o incomoda? Por que meu brilho o intimida? Porque eu caminho como quem possui riquezas dignas do grego Midas. Como a lua e como o sol no céu, com a certeza da onda no mar, como a esperança emergindo na desgraça, assim eu vou me levantar.         Você não queria me ver quebrada? Cabeça curvada e olhos para o chão? Om (...)

Horizonte

20.06.18, Alice Alfazema
  Ilustração Evgenia Gapchinska       O sonho é ver as formas invisíveis Da distância imprecisa, e, com sensíveis Movimentos da esperança e da vontade, Buscar na linha fria do horizonte A árvore, a praia, a flor, a ave, a fonte — Os beijos merecidos da Verdade.          Fernando Pessoa